COMO USAR ACESSÓRIOS: UM GUIA COMPLETO PARA VOCÊ SE INSPIRAR E OUSAR

6 de julho de 2015 | Sem categoria

Acentuar o glamour de produções já poderosas, evidenciar a delicadeza, dar brilho e cor para looks mais simples e, acima de tudo, realçar a beleza de cada pessoa. Os acessórios cumprem essas missões em praticamente todos os estilos e tendências de moda, garantindo seu espaço mesmo nos pescoços, orelhas e pulsos das mulheres mais básicas.

Foto: Reprodução / Viva Luxury

Apesar de terem esse papel de arrematar muitas produções, selecionar as peças adequadas para cada ocasião e estilo de look exige bastante cuidado, já que o uso de muitos itens pode resultar em exagero e deselegância. De modo geral, o segredo para não cometer esse tipo de deslize é apostar no “menos é mais”.

Embora pareça fácil ou até intuitivo, a consultora de etiqueta e estilo Janaína Depiné, do Elegante Sempre, recomenda atenção para que os acessórios estejam sempre harmonizados, sejam de cores que combinam entre si e, principalmente, estejam de acordo com todos os fatores que podem determinar, restringir ou exigir o uso de peças específicas.

A seguir, você confere diversas dicas e sugestões da profissional para acertar na combinação de acessórios em todo tipo de situação e para harmonizá-los em vários looks e estilos!

Brincos

Foto: Reprodução / Blog da Thassia

Tradicionalmente considerados os acessórios mais femininos de todos, os brincos são ótimos para finalizar produções ou até mesmo para protagonizá-las. Mesmo as pessoas que não têm furos nas orelhas podem usufruir da beleza dessas peças, já que também há lindas opções com fechos de pressão, que são apenas encaixadas nos lóbulos.

As variações de tamanhos, formatos, cores e materiais ajudam a definir como as peças poderão ser combinadas com maior harmonia. Para as mais ousadas, também é possível apostar em pares descombinados ou até em um único brinco, que “fica interessante quando é grande e longo”, especifica Janaína.

Para quem deseja apostar no estilo desparelhado, a dica da profissional é “optar por formatos que sejam complementares entre si”. A única restrição para a qual a consultora chama atenção é que esse tipo de brinco seja evitado em ambientes de trabalhos muito formais, mas “em produções para festas, o acessório de material sofisticado está liberado”, orienta.

Pequenos ou minis

Normalmente mais delicados, os brincos pequenos ou minis são rentes às orelhas e compostos apenas por um ponto-de-luz ou por formatos mais simples, como bolinhas e corações. Por não chamarem muita atenção, esses são os estilos da peça mais indicados para ambientes profissionais, segundo a consultora.

A simplicidade desses acessórios também os tornam ideais para compor com vários furos nas orelhas. “Os pequenos com pedrinhas em tons neutros podem ser usados nos furos de cima, assim não vão entrar em conflito com o brinco que você escolher para o furo principal”, explica Janaína.

Médios

Os brincos médios são uma ótima alternativa para quem quer um visual mais discreto, mas não gosta de acessórios rentes às orelhas. Com pedras delicadas ou formatos mais clássicos, é possível conseguir produções bastantes femininas e elegantes.

Por não chamarem tanta atenção como os brincos grandes ou maxi, é possível combinar os médios com colares um pouco mais encorpados, desde que os estilos de ambos os acessórios sejam próximos e não conflitantes.

Grandes

Os brincos grandes, longos ou volumosos, auxiliam na composição de um visual mais poderoso e marcante, mas podem não ser muito adequados para todo tipo de ocasião. Locais mais formais, por exemplo, só condizem com esses modelos se forem feitos em materiais de ótima qualidade ou nobres, como pedras naturais.

Também vale lembrar que esse acessório em tamanho maxi pode ser conflitante com outras peças igualmente grandes, alguns ornamentos de cabelo, cachecóis e blusas com golas muito volumosas ou altas, porque podem enroscar.

Anéis

Foto: Reprodução / Blog da Mariah

Pessoas apaixonadas por anéis costumam ser também adeptas de combinações entre várias modelos da peça. Para não errar nesse mix, Janaína aconselha que sejam “usados apenas acessórios do mesmo estilo ou tipo de material, sendo apenas um deles de maior destaque”.

Pequenos ou minis

Mais delicados e geralmente com menos detalhes, os anéis pequenos ou mesmo no estilo aliança são mais fáceis de serem combinados tanto entre si quanto com outras peças. No entanto, segundo a consultora, o mix de anéis pode ser uma aposta mais ousada e, por isso, mais adequada às mulheres mais fashionistas.

Janaína também enfatiza que o uso de apenas um item do acessório não torna uma produção menos glamourosa: “apenas um anel em cada mão também é chique”, defende.

Grandes ou maxi

Usar somente um anel grande pode ajudar a completar o look com exuberância e chamar atenção para a mão. Para quem gosta de misturar vários, é melhor escolher apenas uma peça de grande destaque, “evite também combinar vários anéis volumosos”, alerta a especialista.

Colares

Foto: Reprodução / Camila Coelho

Para dar destaque a um decote que exibe pouco do colo, arrematar um look ou dar um pouco de cor a uma produção mais sóbria, os colares podem ser ótimos aliados! Contudo, seus inúmeros modelos diferentes precisam estar em harmonia tanto com os outros acessórios utilizados em um look quanto com a gola da camiseta ou blusa escolhida para a composição.

Gargantilhas ou aros

“Colares mais rentes ao pescoço ou que cobrem a parte descoberta do colo podem ser uma boa composição com blusas de gola quadrada”, afirma Janaína. Gargantilhas e aros, por serem mais encorpados e curtos, são ideais para produções em que a região dos ombros e pescoço é o destaque.

Esse estilo de colar, na variação Peter Pan, é ótimo para arrematar looks com camisas lisas completamente fechadas, porque a gargantilha simula uma espécie de gola removível, conferindo mais charme à produção.

Delicados e minis

Os modelos preferidos de Janaína para eventos mais sérios, como trabalho, são os colares delicados, com correntes finas e pingentes pequenos. Esse também é o estilo do acessório menos arriscado para a maioria das produções, já que pode ser usado com muitos tipos de golas e compor tanto com brincos, anéis e pulseiras igualmente pequenos e delicados ou maiores e mais poderosos.

Médios

Um pouco mais longos que os colares delicados, os de tamanho médio podem ter correntes um pouco mais grossas e pingentes menos discretos e numa variedade maior de figuras e formatos. De acordo com as recomendações da especialista, acessórios desse tipo são perfeitos para blusas e camisetas de gola mais arredondada, como a canoa.

Além disso, essa é uma das melhores opções para criar um mix de colares com modelos mais curtos e delicados. “Essa é uma opção interessante para usar com blusas e camisas mais básicas, sem estampas”, sugere Janaína.

Longos

Terminando na altura do busto ou um pouco abaixo dele, os colares longos podem ajudar a dar um toque de descontração aos looks, especialmente aos compostos por blusas ombro a ombro.

Esse tipo de acessório também pode conferir elegância e dar um pouco de cor e brilho às produções mais sérias. “Com peças de gola alta pode ser usado desde um colar longo de pedras com várias voltas ou de pérolas”, exemplifica a especialista.

Maxi

Feitos em estruturas únicas com com várias correntes, pingentes e pedras, os maxicolares costumam ser mais brilhosos e podem aparecer em versões super coloridas também. Por ser chamativo, esse estilo do acessório não é muito recomendado para situações muito formais, mas é ótimo para deixar um visual sóbrio mais poderoso.

E para não errar nas composições, a dica de Janaína é: “se o colar for volumoso, o ideal é que a peça acompanhe o formato do decote”. A consultora também alerta que o acessório maxi pode causar um efeito de achatamento em pessoas baixas ou que têm o pescoço curto.

Pulseiras

Foto: Reprodução / Wondermika

Um acessório que está disponível em modelos diversos e pode agradar a todos os gostos é a pulseira, que pode ser usada em conjuntos que misturam alguns estilos diferentes ou até cores e materiais, desde que estejam em sintonia. Para Janaína, o maior cuidado necessário na hora de usar esse tipo de peça é de “não usá-las por cima da manga comprida e preferir deixá-las alinhadas ao pulso”.

Pequenas e delicadas

Adequadas para todo tipo de ocasião, as pulseiras pequenas, de corrente fina ou outros materiais mais delicados ficam lindas tanto quando usadas solitárias quanto em mixes mais divertidos.

Esse também é o estilo do acessório que melhor combina com roupas de frio e que pode ser mais confortável quando é necessário mexer muito as mãos.

Braceletes ou estruturadas

Maiores e mais chamativas, as pulseiras de estilo bracelete podem aparecer em diversas versões, das mais descontraídas às mais finas. O material e sua qualidade é que determinam para que tipo de ocasião e look cada modelo é mais indicado. “Peças grossas e grandes ficam bonitas no verão, com vestidos, bermudas e visual leve”, exemplifica a profissional.

Vale lembrar que esse estilo de pulseira não permite mixes e fica muito mais interessante quando usado solitário.

Relógios

Foto: Reprodução / Blog da Mariah

Seja para combinar com pulseiras de forma descontraída ou para usar apenas por sua funcionalidade, os relógios podem auxiliar na composição de looks para diversas ocasiões. O estilo do acessório varia conforme seu material, mas “no dia a dia, você pode escolher o modelo que mais lhe agrada”, afirma a consultora. Já para ambientes mais formais, é mais adequado apostar em relógios cujas pulseiras sejam de metal ou couro.

Pequenos ou delicados

Para ambientes profissionais mais formais, Janaína recomenda que os relógios sejam mais discretos e de modelos clássicos. Os acessórios desse estilo são ótimos para produções mais poderosas ou coloridas, pois não causam conflitos, deixando o visual mais equilibrado.

Além disso, também é possível combinar os relógios delicados com pulseiras de correntes finas e até arriscar em combinações entre cores diferentes de ambos os acessórios.

Grandes ou informais

Os relógios maiores são considerados menos formais, porque normalmente são mais brilhosos e chamam mais atenção. Para deixá-los mais divertidos, é possível combiná-los com pulseiras de berloques e de correntes mais finas, que quebram um pouco da seriedade do acessório, que já demonstra maior comprometimento e seriedade.

Segundo Janaína, o maior cuidado que se deve ter ao escolher um relógio é com o seu tamanho. É necessário observar se não ficará desproporcional em relação a o pulso, “relógios muito grandes não ficam bem em mulheres do tipo mignon”, exemplifica.

Fonte: Dicas de Mulher

Deixe um comentário

*Preencha o campo corretamente